sábado, 4 de junho de 2011

Leite Derramado - Chico Buarque


     Em seu leito hospitalar, um velho começa a relatar suas memórias.  São muitas e por vezes confusas e repetidas, repletas de detalhes. 

("...É para si próprio que um velho repete sempre a mesma história, como se assim tirasse cópias dela, para a hipótese da história se extraviar...")

     O relato flui naturalmente, um pouco atrapalhado como seria de se esperar, devido à idade do personagem principal. E o leitor é convidado a viajar por essas memórias, sendo transportado por diversas épocas e de volta num piscar de olhos. Os detalhes vão se encaixando para formar a imagem dos personagens. 

("...Era como se a cada passo eu me rasgasse um pouco, porque minha pele tinha ficado presa naquela mulher...")

   O texto é conduzido com maestria, traduzindo-se num monólogo demasiado interessante e realista. 
 
       Eu li e recomendo.


Por @TarcisioAlves

Nenhum comentário:

Postar um comentário