quarta-feira, 18 de maio de 2011

A Volta do Palocci

     Lembra do Antonio Palocci? Como a gente tem memória política muito curta por aqui, eu vou ajudar a lembrar.
     É aquele político que nunca perdeu uma eleição; que ganhou prêmio até da Unicef por reconhecimento do seu trabalho; que foi um dos fundadores do, hoje tão importante, Partido dos Trabalhadores e que teve papel de suma importância na criação de 80 bibliotecas na cidade de Ribeirão Preto (esse último feito me faz sonhar com iniciativas assim acontecendo por todo o país).
     Foi também ele que foi acusado de envolvimento no esquema do Mensalão, que favorecia certas empresas. Acusado pelo seu próprio ex-secretário. Embora Palocci negue ter conversado com o acusador na época citada na acusação e a quebra de sigilo telefônico tenha mostrado que ele mentiu. Também foi acusado de fraude em licitações de cestas básicas e propaganda irregular em campanha.
     Tão vencedor na vida política e ao mesmo tempo tão envolvido (ou acusado de envolvimento) em diversas irregularidades. Um político controverso que foi afastado durante o governo Lula e desde o começo do ano está de volta ao cenário político, no cargo de Ministro da Casa Civil.
     Seu nome volta aos jornais com a notícia de que uma comissão de deputados da oposição pede à Comissão de Ética da Presidência esclarecimentos sobre o aumento no seu patrimônio nos últimos quatro anos, que hoje chega a ser 20 vezes maior. A CEP negou o pedido pois, segundo ela “não cabe (ao órgão) indagar da história das fortunas dos pobres e dos ricos que chegam a ministro de Estado". A boa notícia é que o procurador-geral da Republica Roberto Gurgel afirmou ontem que investigará sim a evolução patrimonial do ministro.
     Não sou daqueles que estão agora gritando "Fora Palocci" pra todos os lados, nem tampouco sou dos que acreditam que o seu patrimônio adquirido antes de assumir o Ministério seja algo que não devemos questionar. Sou dos que pensam que o caso merece ser investigado e que investigar não é sinônimo de culpar.


     Não sei a quem cabe essa investigação, mas sei que ela deve ser feita. Não estou acusando o Palocci, mas se ele ganhou seu dinheiro licitamente não irá demonstrar recusa em comprovar isso. Transparência é requisito básico para um bom representante do povo.

Por @TarcisioAlves

Nenhum comentário:

Postar um comentário