terça-feira, 17 de maio de 2011

Uma Visão Inteligente e Bem Humorada do Racismo

     O texto a seguir não é tão recente, assim como algumas coisas que já apresentei aqui, porém faço isso porque sei que a qualidade de algo velho se mantém com o passar do tempo e é mais importante que uma novidade fútil.
    Danilo Gentili foi de novo, novamente outra vez alvo de ataques de grupos que dizem combater o racismo. E a resposta foi essa:



     As pessoas que separam cachorros por raças fazem isso porque acreditam que uma raça vale mais que a outra. Eles acreditam mesmo nisso. Ganham dinheiro com isso. Movimentam um mercado. Dividir uma espécie por raças nada mais é do que racismo.

Sinceramente acredito que todo cachorro é cachorro e que toda pessoa é pessoa. E dentro disso não entendo como alguém que morde seu sapato, encoxa sua perna e caga no seu tapete pode ser considerado o melhor amigo do homem.

Se você me disser que é da raça negra preciso dizer que você tambem é racista, pois, assim como os criadores de cachorros, acredita que somos separados por raças. E se acredita nisso vai ter que confessar que uma raça é melhor ou pior que a outra. Pois se todas raças são iguais então a divisão por raça é estúpida e desnecessária. Pra que perder tempo separando algo se no fundo dá tudo no mesmo?

Quem propagou com muito entusiasmo a idéia que "negro" é uma raça foram os escravistas. Eles usaram isso como desculpa para vender os pretos como escravos: "Podemos trata-los como animais, afinal eles são de uma outra raça que não é a nossa. Eles são da raça negra". Então quando vejo um cara dizendo que tem orgulho em ser da raça negra eu juro que nem me passa pela cabeça chama-lo de macaco. E sim de burro.

Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de viado e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados.

Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste quando ouve os outros animais comentando:
- O macaco é o pior de todos. Quando um humano se xinga de burro ou elefante dão risada. Mas quando xingam de macaco vão presos. Ser macaco é uma coisa terrível. Graças a Deus não somos macacos.

Prefiro ser chamado de macaco do que de girafa. Peça para um cientista fazer um teste de Q.I. com uma girafa e com um macaco. Veja quem tira a maior nota.

Quando queremos muito ofender e atacar alguém, por motivos desconhecidos, não xingamos diretamente a pessoa e sim a mãe dela. Posso afirmar aqui então que Darwin foi o maior racista da história por dizer que eu vim do macaco?

Se o assunto é cor eu defendo a idéia que o mundo é uma caixa de lápis coloridos. Somos os lápis dessa caixa. Um lápis é menos lápis que o outro só porque a cor é diferente? Eu desenho desde criança, então acredite em mim: Não mesmo. Todas essas cores são de igual importância. Ok. Ok. Foi uma comparação idiota. Confesso. Os lápis são todos do mesmo tamanho na caixa. E no mundo real o lápis preto é bem maior que o amarelo.

Mas o que quero dizer é que na verdade não sei qual o problema em chamar um preto de preto. Esse é o nome da cor não é? Eu sou um ser humano da cor branca. O japonês da cor amarela. O índio da cor vermelha. O africano da cor preta. Se querem igualdade deveriam assumir o termo "preto" pois esse é o nome da cor. Não fica destoante isso: "Branco, Amarelo, Vermelho, Negro"?. O Darth Vader pra mim é negro. Mas o Bill Cosby, Richard Pryor e Eddie Murphy que inspiram meu trabalho não. Mas se gostam tanto assim do termo negro, ok, eu uso, não vejo problemas. No fim das contas é só uma palavra. E embora o dicionário seja um dos livros mais vendidos do mundo, penso que palavras não definem muitas coisas e sim atitudes.

Digo isso porque a patrulha do politicamente correto é tão imbecil e superficial que tenho absoluta certeza que serei censurado se um dia escutarem eu dizer: "E aí seu PRETO, senta aqui e toma uma comigo!". Porém, se eu usar o tom correto e a postura certa ao dizer "Desculpe meu querido, mas já que é um afro-descendente é melhor evitar sentar aqui. Mas eu arrumo uma outra mesa muito mais bonita pra você!" sei que receberei elogios dessas mesmas pessoas, afinal eu usei os termos politicamentes corretos e não a palavra "preto" ou "macaco", que são palavras tão horríveis.

Os politicamentes corretos acham que são como o Superman, o cara dotado de dons superiores, que vai defender os fracos, oprimidos e impotentes. E acredite. Isso é racismo, pois transmite a idéia de superioridade que essas pessoas sentem em relação aos seus "defendidos".

Agora peço que não sejam racistas comigo por favor. Nao é só porque eu sou branco que eu escravizei um preto. Eu juro que nunca fiz nada parecido com isso nem mesmo em pensamento. Não tenham esse preconceito comigo. Na verdade sou ítalo-descente. Italianos não escravizaram africanos no Brasil. Vieram pra cá e assim como os pretos trabalharam na lavoura. A diferença é que Escrava Isaura fez mais sucesso que Terra Nostra.

Ok. O que acabei de dizer foi uma piada de mal gosto porque eu não disse nela como os pretos sofreram mais que os italianos. Ok. Eu sei que os negros sofreram mais que qualquer raça no Brasil. Foram chicoteados. Torturados. Foi algo tão desumano que só um ser humano seria capaz de fazer igual. Brancos caçaram negros como animais. Mas também os compraram de outros negros. Sim. Ser dono de escravo nunca foi privilégio caucasiano e sim da sociedade dominante. Na África, uma tribo vencedora escravizava a outra e as vendia para os brancos sujos.

Lembra que eu disse que era ítalo-descendente? Então. Os italianos não escravizaram os pretos, mas os romanos escravizaram os judeus. E eles já se vingaram de mim com juros e correção monetária, pois já fui escravo durante anos de um carnê das Casas Bahia.

Se é engraçado piada de gay e gordo, porque não é a de preto? Porque foram escravos no passado hoje são café-com-leite no mundo do humor? É isso? Eu posso fazer a piada com gay só porque seus ancestrais nunca foram escravos? Pense bem, talvez o gay na infância também tenha sofrido abusos de alguém com o chicote.

Se você acha que vai impor respeito me obrigando a usar o termo "negro" ou "afro-descendente", tudo bem, eu  posso fazer isso só pra agradar. Na minha cabeça você será apenas preto e eu branco, da mesma raça, a raça humana. E você nunca me verá por aí com uma camiseta escrita "100% humano", pois não tenho orgulho nenhum de ser dessa raça.
    
Danilo Gentili Wins!


Por @TarcisioAlves

10 comentários:

  1. Legal è boom esse jeito divertido de mostrar o racismo sou negra tem muitos racistas aqui onde eu moro

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto achei legal te relacionado o humor com assunto que está cada vez mais prejudicando o nosso país e foi muito útil para o meu trabalho... Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  3. muito legal mas é engraçado um forma de mostra o racismo com humor

    ResponderExcluir
  4. Humor é humor, não tem como discordar. Porém, eu de minha parte, resguardando as devidas proporções, acho que seu raciocínio carece de fundamentação. Debruce sobre este tema com mais cautela e verás que "racismo" é um tema recente na história da humanidade. Sempre houve categorização entre os humanos. Ora se dava pelas fronteiras, ora pela capacidade de organização armada, pelo número de homens de guerra, enfim, sempre se usou de recursos para a dominação. Os gregos consideravam bárbaros quem não era grego. Mais tarde os romanos assimilaram esta filosofia e fizeram barbaridades "mundo" afora. Ainda assim a noção de escravidão antigaem nada se parecia com o conceito de escravidão moderna. A Igreja Católica tem uma fatura muitíssima alta com a história que se desenrolou a partir do momento em que tomou os “outros” como inimigos de Cristo, portanto passivos de serem escravizados e dizimados para dar conta da sanha dos interesses comerciais das coroas e de si. Vem daí o caldo racista que ganha mais tarde o epíteto de racismo científico do qual os negros foram os mais aviltados. Agora leia um pouco sobre os frades Antônio de Montesinos e Bartolomeu de Las Casas e verás que há espécies humanas altamente desenvolvidas espiritualmente que tendo sido dizimada, exterminada não teve chance de brigar para ser respeitada. Descobrirás também que os negros têm muitíssima pouca coisa a ver com estas noções absurdas de superioridade racial. E se não formos para o “front” ideológico nunca sairemos do lugar a nós reservado pela nefasta Casa Grande. O pelourinho estaria em plena atividade se não brigássemos contra ele. A democracia não se aperfeiçoará se o povo “demo” não brigar com o poder “cratos”, “cracia”. Oras, então compete ao negro não baixar a guarda, porque o teria? Sabe-se que de humor em humor se forma, estabelece, reafirma preconceitos que viram conceitos. Tornar risível a desgraça alheia é sempre uma forma de legitimá-la como atividade normal.

    ResponderExcluir
  5. Belo texto e excelente para nossa reflexão ! http://blogdoprmaroel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao ficou claro para mim qual dos textos foi considerado belo e excelente. Caso tenha sido o de Tacísio Alves, sugiro leitura mais atenta para identificar o deslize (ingenuo ou intencional) que desvia-se do foco principal para justificar o racismo rasteiro.

      Excluir
  6. Belo texto e excelente para nossa reflexão ! http://blogdoprmaroel.blogspot.com

    ResponderExcluir