quarta-feira, 18 de maio de 2011

O Cafajeste e a Princesa

     Cafajeste como é, rega a vida com bebibas, bons charutos e mulheres. Sem se importar, vive sua vida a esmo. Até o dia, em que seu coração foi tocado. E o chocolate que outrora foi o mais amargo, tornou-se o mais saboroso dos doces. As flores do seu jardim que compunham uma paisagem seca floreceram novamente.
     Arrependido de todos seus erros e, agora, embriagado pelo whisky da paixão, ele se dispôs a conquistar sua amada. De bilhetes a poemas, de flores à joias caríssimas mas, no coração de sua princesa, nada mudou. E assim se pôs a chorar, em seu coração só a desilusão habitava. E no auge do seu desespero ele perguntou para Deus: Pai, por que colocastes em meu caminho a mais perfumada das rosas, se de sua fragância só posso sentir os resquícios que o vento me traz? Por que tanta amargura em meu coração?
     Deus, comovido com sua aflição, sussurou: Calma filho, bebe um gole d'água. Nada acontece por acaso. Sua rosa está na mais bela das plantações. Contudo, para alcançá-la, tens que aguentar as feridas e os espinhos que as outras rosas proverão.

@Netoomoraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário