sábado, 13 de agosto de 2011

Aviso aos Navegantes

     Começo me desculpando pelo blog não ter mantido ultimamente sua atividade normal - com o perdão do trocadilho.
      O motivo dessa escassez de atividade por aqui é a falta de mais tempo disponível. Venho também adiantar que esse tempo disponível está sendo gasto em algumas mudanças que brevemente acontecerão por aqui...
     Atenciosamente,


@TarcisioAlves

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Felicidade Cata-vento

Felicidade cata-vento, sopre por entre o coração.

Noite e dia, dia e noite, sem pranto, sem razão.

Hoje um sábio me questionou: o que és tu?

E prontamente eu lhe respondi: eu sou mar.

Eu sou terra, eu sou céu, eu sou tudo, enfim.

Mas nada sou. Sou a vontade de ser, de viver

Impávido diante do dia que a morte venha a

Me conhecer.

Eu sou João, eu sou Maria. Sou rancor, calor,

Frieza, e euforia. Sou também saudade, vontade,

Poesia. Sou o tudo que luta pelo nada.

Sou a ferida, mas também sou a espada.

Eu sou a mão que apedreja, e a mão que

Afaga. Entre á lagrima e a água eu sou...

Tudo, porque hoje sou todo amor.


Por @Netoomoraes

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sobre Mim e o Criador


     Eu hoje acredito em Deus, embora tenha existido um tempo em minha vida onde neguei sua existência. Meus amigos ateus me acham menos inteligente pela minha crença, e meus amigos religiosos talvez me achem um cara de pouca fé, por ter duvidado da existência do Criador. Todavia prefiro acreditar em algo que duvidei, questionei e formei um conceito, do que acreditar cegamente em algo só porque alguém me impôs.
     Fui criado e educado por uma mãe extremamente religiosa e praticamente vivi dentro da igreja até os meus onze anos. Com o tempo o meu senso crítico foi despertando e eu fui descobrindo que não concordava com muita coisa que não podia ser mudada por ali, e decidi não participar mais.
     Então eu passei a duvidar da existência de um Deus e depois passei a negá-la. Hoje, depois de muito pensar no assunto, acredito que ele existe, embora a imagem que eu faça dele seja diferente da que a maioria das religiões faz. Não voltei a frequentar a igreja porque não sinto necessidade e porque continuo a discordar de algumas coisas, mas defendo que as igrejas têm um papel importante na vida da maioria, só nao sinto necessidade de uma hoje.
     Se eu rezo? rezo sim. Não as orações prontas que aprendi quando criança. Minha oração consiste em uma conversa informal quase toda noite e nos momentos que acho conveniente. Não peço nada em minhas "orações" porque acredito que tenho mais do que preciso. E o que eu não tenho, cabe somente a mim ir atrás.
     Minha religião é definida por mim mesmo. Meu conceito de religião é fazer o bem e o meu conceito de pecado é fazer mal a terceiros, por ação ou omissão. E talvez uma das frases mais verdadeiras que tenha ouvido na minha educação na igreja tenha sido essa: A fé remove montanhas. Acredito no poder que a fé tem. Fé é você confiar cegamente em algo, sem pensar em outra possibilidade.Não estou falando de fé em Deus.Se você não acredita nele, pra mim é como se você torcesse para um time diferente do meu: a gente vai concordar em discordar e isso não vai mudar a imagem que faço de você nem eu vou ficar tentando te convencer a "torcer para o meu time".
     A medicina já mostrou que pacientes que acreditam de verdade em sua melhora aumentam exponencialmente as chances disso acontecer. Isso é fé. E milagres são coisas desejadas, mas bem improváveis, que acontecem quando alguém acredita mesmo que é possível.
     Cada religião tem sua maneira de buscar Deus e uma suposta salvação, e cada uma delas acredita que a sua maneira é melhor, é assim no mundo todo. Eu tenho a minha própria religião, minha maneira de acreditar nas coisas e de me relacionar e acreditar no criador, onde quer que ele esteja.
     E por aqui até dizem que Deus é brasileiro. Mas, na verdade, acho que Deus mora onde a gente deixa ele entrar...
Por @TarcisioAlves

terça-feira, 26 de julho de 2011

O que você quer ser quando crescer?

"Aí, o que você quer ser quando crescer? e se você crescer fica ligado no que cê pode fazer!" 

Resolvi começar a escrever com este trecho de uma musica de um dos meus maiores ídolos: Marcelo D2. Porque eu comecei com ele? Não sei, não tem o maior sentido. Mas, se bem que sentido é uma das coisas que não convivem muito com os meus textos... 
Quem nunca ouviu essa pergunta? "O que você quer ser quando crescer?" Acho que todos. Por estudos feitos por mim mesmo, e estatísticas altamente confiantes, 70% dos homens responderam que queriam ser jogadores de futebol, outros 20% (babacas) queriam ser grandes e os 10% finais queriam ser atores. Nesses 10%,  8% gostam de "Glee", andam em passeatas bastante coloridas e são odiados pelo Bolsonaro. E os 2% finais são héteros. Assumo para vocês que tive sim um sonho de ser ator. Só não assumo em qual das porcentagens, dos 10%, eu estou.
Agora, é aquela coisa né... Sempre quis ser ator mas nunca corri atrás. E eu vejo isso bastante nas pessoas. Elas sonham com algo e não correm atrás. Se bem que depois que veio a internet, correr é uma coisa bastante intrigante. Vai, diz ai se você conhece algum atleta que cresceu ao lado da internet, e virou famoso? Duvido! Ai alguém pode falar: "Neymar!". Neymar, duvido que ele tinha computador antes de ser jogador profissional. É simples. Nossos avós lutaram na segunda guerra. Nossos pais contra a ditadura. E nossa geração consegue xingar muito na internet. Orgulho!
É muito fácil rotular as pessoas. Sério, saca só:
- Se a pessoa quer ser médico = Estudioso. (Ou sonhador...)
- Se a pessoa quer ser advogado = Dedicado (Ou mora em maceió e estuda no cesmac...)
- Se a pessoa quer ser administrador = Estrategista (Ou não sabia que curso escolher...)
- Se a pessoa quer ser jornalista = Comunicativo (Ou maconheiro...)
- Se a pessoa quer ser engenheiro = Inteligente (Ou maluco...)
- Se a pessoa quer ser educador físico = Saudável (Ou só tirava notas ruins na escola...)
- Se a pessoa quer ser psicologo = Compreensivo (Ou mais maluco que o engenheiro...)
- Se a pessoa quer ser publicitário = Criativo (Ou vagabundo e escreve em blogs...)

Mas me diz aí, o que você realmente quer ser quando crescer? Eu, queria ser grande. 


terça-feira, 12 de julho de 2011

A felicidade e Seus Efeitos Colaterais.

     Sou feliz, ou será que quero poder dizer que sou feliz? Uma pergunta que abre margens para várias respostas: você é feliz? Definir felicidade é uma tarefa um tanto quanto difícil, e a todo tempo as pessoas tentam estipular uma espécie de pré-requisito para se enquadrar nesse grupo.
     E eu me questiono: será que é possível estabelecer uma fórmula para a felicidade? Visto que cada ser humano como indivíduo pensante almeja coisas diferentes um do outro. E é a essa "corrida da felicidade" que podemos atribuir uma parte da culpa de toda miséria do mundo. Isso mesmo que você leu. Afinal, na tentativa falha de estipular uma fórmula é que os barões do dinheiro impõem essa conduta. Você acaba sendo convencido de que para se enquadrar no grupo social das pessoas "de bem com a vida", vai necessitar de alguns bens materiais.
     E agora estamos chegando ao ponto principal do meu texto, isso é de certo modo perigoso. Ora, veja bem: pessoas matam e morrem nessa busca desajeitada de ser aceito em determinado grupo, seja ele qual for. Isso gera uma bola de neve, e essa bola vem carregando a desigualdade das classes consigo. Pois o tráfico de drogas, tão temido, nada mais é do que uma luta em busca da felicidade. O traficante que está armado de um fuzil em cima do morro, nada mais quer do que poder dizer que é feliz, e pra isso ele precisa estar com o tênis de marca, o carro do ano, e a mulher mais bonita do bairro.
     É, os fatos foram distorcidos, e viraram um emaranhado de falsas conquistas. E agora é necessário retroceder para evoluir. Livre-se desses pensamentos materialistas, porque de nada adianta ser feliz sozinho. A felicidade vai ter um gosto amargo se dela você provar sem poder passar ao próximo. Então seja feliz para você e para os outros, porque a verdadeira fórmula do big bang da felicidade está escrita em neon por toda parte: Igualdade! Porque eu posso lhe assegurar, e isso é uma opinião minha, eu não consigo ser feliz sozinho. Entendeu?

Por @Netoomoraes

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O Segredo da OAB


     Essa semana vimos muita repercussão sobre a grande reprovação dos estudantes de direito no tal exame da OAB. E a discussão ficava entre os que crucificavam as faculdades que tiveram baixo índice de reprovação e os que afirmam que o exame é de um nível exageradamente alto, feito para reprovar mesmo. Ambos enganados.
     Sabe o que realmente acontece? O que está faltando para o índice de aprovação na OAB subir e alcançar um patamar considerável? Educação básica de verdade. É duro admitir, talvez seja até difícil de você acreditar, mas é isso mesmo.
    Antes de entrar na faculdade, a grande maioria dos estudantes não quer aprender nada, só quer ser aprovado. Ninguém quer mesmo estudar, só quer alcançar a média para passar na matéria, o que se consegue mesmo sem aprender boa parte dela. Sem mencionar os atos de "cola", onde alguns conseguem ser aprovados sem saber de realmente nada. E assim os alunos vão achando que estão enganando os professores, mas na verdade vão se enganando e indo cada vez mais despreparados para exames, como o da OAB.
     Já cansei de ver meus amigos universitários escrevendo concerteza, ein, afazer, e outros tantos erros que são, no mínimo, inaceitáveis vindo de alguém que já tem tanto tempo de educação. Esses eu sei que são os que não estudaram tanto quanto deviam e não vão poder reclamar de faculdade nenhuma se forem reprovados em algum exame.
     A Ordem dos Advogados não tem a menor parcela de culpa nas reprovações, muito pelo contrário: ela objetiva manter um alto nível de representantes. As faculdades também não podem perder tempo ensinando o que os alunos deveriam ter aprendido tantos anos antes, não é o papel delas. A responsabilidade pela reprovação, quase sempre, é inteiramente sua, senhor aluno. Você que comete erros como os que eu citei, no idioma que será sua principal ferramenta de trabalho, não deveria ter esperança de aprovação.

Por @TarcisioAlves

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Sonhos

     Estava sentindo falta de um pouco de música por aqui e resolvi preencher essa lacuna com uma música que acredito que, tantas vezes, ajudou a preencher lacunas em muitos corações.
     Uma letra que fala mais que muitos discursos, que expõe fraquezas - coisa que não gostamos de fazer - e que, na estrofe final, demonstra um otimismo admirável.
     Letra do Peninha, interpretação de Caetano Veloso e o silêncio de toda a platéia para aproveitar por completo a apresentação.
"Saudade até que é bom, é melhor que caminhar vazio..."

Por @TarcisioAlves